Burnout

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Burnout no seu e-mail? Cadastre-se clicando aqui.

O capitalismo têm motivado muitas pessoas a quererem cada vez mais trabalho, status e posição social. Além disso, empresas têm exposto seus funcionários a condições extremas, que envolvem pressão psicológica, prazos, metas, e um ambiente de trabalho extremamente competitivo. Como é de se esperar, este cenário favorece o adoecimento, e dentre as diversas condições que podem surgir, está a Síndrome de Burnout.

Categorizada como um transtorno da mente, Burnout resulta uma série de fatores estressores, sendo o ambiente de trabalho decisório sobre o seu desenvolvimento.

Os sintomas podem variar de graus leves ou até mesmo quadros incapacitantes. O trabalhador passa a ser paciente, e apresenta:

  • Quadros de ansiedade, estresse, insônia, agitação;
  • Isolamento social e perda de interesse em atividades que antes lhe traziam prazer;
  • Dificuldade em se concentrar, com consequente queda de rendimento no trabalho;
  • Excesso ou falta de apetite;

Mas, você deve estar se perguntando o que deve ser feito nestas situações. O tratamento, sem dúvidas, é capaz de devolver à saúde mental do indivíduo, porém deve ser feito depressa.

Burnout

O que pode ser feito para combater o Burnout?

Agora que você já sabe o que causa e como se manifesta a Síndrome de Burnout, é preciso ter em mente que ela pode ter cura, mas para que isso seja possível, é preciso que haja uma mudança de hábitos de vida.

O raciocínio é simples: como um indivíduo poderá se curar dentro do ambiente que adoeceu? Este e outros tópicos você encontrará a seguir:

1) Mudanças no trabalho

Alguns indivíduos poderão necessitar de mudanças de cargo ou mesmo afastamento de suas profissões. Quando possível, pode-se optar pela mudança de hábitos e rotina laboral. Dentre algumas medidas que podem ser adotadas, estão:

  • Diminuição da carga horária diária;
  • Redução do número de tarefas;
  • Compartilhamento de responsabilidades com outros colaboradores;

Cabe à empresa determinar qual será a melhor mudança neste momento, visando sempre o bem-estar e a saúde mental do indivíduo.

2) Adoção de hábitos saudáveis

Muito além do ambiente de trabalho, é preciso “tratar” todas as esferas do indivíduo, incluindo seus vícios e hábitos de vida. Para isso, deve-se priorizar:

  • A prática de atividades físicas;
  • Uma dieta equilibrada e saudável;
  • O abandono do álcool;
  • Cessar o tabagismo;
  • Períodos de descanso, inclusive durante a semana.

3) Terapia

O psicólogo é um profissional muito importante quando se fala em síndrome de Burnout, visto que ele será o responsável por auxiliar o indivíduo a enxergar sua rotina e sua vida de uma nova maneira.

Diversas são as modalidades de terapia, e estas são decididas conforme o caso de cada um. Mas, é imprescindível buscar por um psicólogo, não apenas quando a doença estiver presente, como também para preveni-la!

4) Medicamentos para Síndrome de Burnout

Em alguns casos, o uso de medicamentos (a exemplo dos antidepressivos) pode ser necessário no tratamento da síndrome de Burnout.

Estes devem ser utilizados apenas quando houver a prescrição de um médico, podendo ser o especialista em saúde mental – que é o psiquiatra.

Se interessou sobre os tratamentos da Síndrome? Então continue acompanhando o Blog da AJ & Oliveira Advogados Associados e não perca os demais artigos que virão da série Burnout.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Burnout no seu e-mail? Cadastre-se clicando aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário