Burnout

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Burnout no seu e-mail? Cadastre-se clicando aqui.

A Síndrome de Burnout caracteriza-se como um distúrbio psíquico ocasionado pelo o estado de tensão emocional e estresse provocados por exigências exacerbadas e condições de trabalhos desgastantes, na qual acabam impactando arduamente na saúde e no bem-estar do trabalhador.

A origem da expressão “Burnout” é inglesa, em que resultou da junção de burn (queimar) e out (exterior), podendo ser traduzida como “queimar-se por completo”.

burnout

Por conseguinte, a decorrente realidade dos profissionais acarretou na necessidade dos mesmos desenvolverem um perfil excessivamente perfeccionista, visto que, esse processo suscita na sensação de esgotamento físico e mental, conflitos, ansiedade, baixa autoestima, isolamento e ausência no trabalho, já que, se esforçam muito com o trabalho e muitas vezes se esquecem dos momentos de descanso ou descontração.

Com a finalidade de alertar alguns profissionais sobre o transtorno, foi proposto incluir a Síndrome de Burnout na Regulamentação da Previdência Social concernindo como agentes causadores de doenças profissionais.

Dessa forma, as leis brasileiras de auxílio ao trabalhador já contemplam o Burnout no anexo II do Decreto n° 3048/99 ao se referir aos transtornos mentais e do comportamento relacionado com o trabalho (grupo V da CID-10), o inciso XII aponta a síndrome de Burnout, como síndrome do esgotamento profissional (Ministério da Saúde,1999).

Vale ressaltar que, a Síndrome de Burnout pode ser facilmente confundida com outros diagnósticos relacionados as distintas patologias mentais, isso porque os seus sintomas podem ser semelhantes com a depressão e o estresse, por isso é necessário prestar atenção em muitos detalhes.

Diferença entre Burnout, depressão e estresse

Enquanto a Síndrome de Burnout é um transtorno resultante de estresse crônico e geralmente tem origem no ambiente de trabalho.

A depressão é um distúrbio mental que afeta pessoas de todas as idades, uma vez que causa mudanças de humor, como tristeza profunda e irritabilidade que podem durar por semanas ou meses. Por outro lado, o estresse é uma reação fisiológica automática do corpo a circunstâncias que exigem ajustes comportamentais.

Sintomas da Síndrome de Burnout

Os sinais da síndrome podem se manifestar através de sintomas emocionais, manifestações físicas e alterações comportamentais.

Dessa forma, as características emocionais mais apresentadas são: Sentimento de fracasso e dúvida sobre desempenho profissional, agressividade, ansiedade, baixa autoestima, impotência, lapso de memória, mudanças bruscas de humor, pessimismo, sensação de esgotamento físico e mental, perda de motivação e diminuição da satisfação e da realização profissional.

Portanto, em relação as manifestações físicas, os sintomas mais comuns são: cansaço, distúrbios gastrintestinais, enxaqueca, dores musculares, insônia, palpitação, pressão alta e sudorese.

Já as manifestações das alterações comportamentais são: retirada de responsabilidade, isolamento, procrastinar, demorar mais para fazer as coisas, maior consumo em comida, drogas ou álcool para lidar com a frustração, incapacidade de concentração e faltas ou ímpeto de abandonar o trabalho.

Assim sendo, os efeitos negativos do esgotamento causam alterações de longo prazo para a saúde e o bem-estar do profissional, ficando vulnerável a doenças, sendo assim, é importante lidar com a síndrome imediatamente.

Dessa forma, vale salientar que, a busca pela orientação psicológica profissional pode ajudar a compreender o momento e fazer alterações em seus procedimentos.

Texto: Cláudia Fabiane
Data: 30 de Novembro, 2019
Site: Vinicius Teixeira Comunicador

Continue acompanhando o Blog da AJ & Oliveira Advogados Associados e não perca os demais artigos que virão da série Burnout.

Quer receber conteúdos exclusivos sobre Burnout no seu e-mail? Cadastre-se clicando aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário