O que é compliance?

O verbo inglês compliance significa ‘cumprir’. Desta forma, no setor financeiro, o termo compliance é usado para conformidade com leis e regulamentos.

Nos últimos anos, o governo e os reguladores financeiros impuseram cada vez mais regras às instituições financeiras.

Com isso, eles esperam promover a integridade do sistema financeiro e evitar novos escândalos financeiros. Por exemplo, há legislação na área de prevenção de fraudes, informação privilegiada e lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo.

A compliance também desempenha um papel cada vez mais importante para empresas corporativas. O conceito tornou-se conhecido do público em geral após uma série de grandes escândalos.

Por que é importante?

Existem sanções firmes por descumprimento da legislação. Neste sentido, existem algumas instituições públicas que monitoram rigorosamente a conformidade com a legislação e os regulamentos.

Como supervisores, eles podem, por exemplo, impor uma multa pesada, retirar uma permissão ou até mesmo exigir um serviço comunitário ou prisão.

Mas a compliance é principalmente do interesse do próprio setor, enfatizam os reguladores. Afinal, a legislação destina-se a fortalecer o sistema financeiro e evitar novos danos à reputação e escândalos.

 

 

Diretor de Compliance no setor financeiro

Há cerca de vinte anos, o papel do compliance Officer era praticamente desconhecido nas instituições financeiras do Brasil.

Com cada vez mais leis e regulamentações, o compliance tornou-se um tema cada vez mais importante na agenda de gestões.

Certamente, desde a crise de 2008, tem havido uma enxurrada de leis e regras adicionais que têm um grande impacto no setor financeiro.

Além disso, um novo aumento nas reclamações com base na não conformidade levou a um crescimento contínuo no papel de responsável pela conformidade, que agora é indispensável para uma instituição financeira.

O que a compliance inclui?

A compliance ocorre principalmente com instituições financeiras e é vista cada vez mais amplamente. Onde a conformidade estava anteriormente relacionada principalmente a regulamentações financeiras, agora ela é entendida de forma muito mais ampla.

Deste modo, a compliance na definição mais ampla realmente fornece todos os regulamentos que se aplicam à organização. Como resultado, ele também pode ser específico da organização, de acordo com as leis e regulamentos que se enquadram nele.

Assim sendo, isso também inclui a Lei de Condições de Trabalho, Lei de Proteção de Dados Pessoais, entre outras.

 

O que um diretor de compliance faz?

O atual diretor de compliance do conselho de uma empresa mantém o controle sobre o trabalho dentro da empresa com as leis e regulamentos aplicáveis.

Deste modo, o responsável pela conformidade consegue isto através de várias tarefas e responsabilidades:

  • Estimar os riscos de conformidade a serem gerenciados.
  • Relatar violações de conformidade.
  • Determinam qual legislação e regulamentos se aplicam para a organização.
  • Sinalização e ajuste de atitudes e comportamentos dentro da organização.
  • Monitorar os desenvolvimentos em leis e regulamentos existentes e novos.
  • Adaptar documentos de política com base em mudanças legislativas (dependendo do tamanho da organização).
  • Monitoramento de leis e regulamentos, políticas e procedimentos.
  • Reportando-se ao Conselho Executivo e ao Conselho de Supervisão sobre o cumprimento das leis e regulamentos aplicáveis.
  • Assessoria a órgãos superiores em leis e regulamentos (questões, sanções, mudanças, entre outros).

Assim sendo, devido ao aumento das regulamentações, a função de compliance é constantemente expandida.

E se você gostou do nosso artigo de hoje sobre o que é o compliance, então continue em nosso site e confira muito mais.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário