Burnout

Os transtornos mentais estão cada vez mais presentes dentre a população, principalmente em jovens. A síndrome de Burnout é um exemplo destas comorbidades, e tem número crescente de pacientes e diagnósticos.

Esta doença decorre principalmente do trabalho, e traz uma série de repercussões na qualidade de vida e dia a dia do indivíduo.

Burnout

A seguir, conheça os principais aspectos atrelados ao Burnout.

Excesso de cobranças

O ambiente de trabalho, quase sempre, é repleto de tarefas e funções a serem cumpridas diariamente. Com isso, surge o excesso de cobranças, seja por parte da gerência ou mesmo do próprio indivíduo.

Em um primeiro momento, há uma condição de estresse “agudo”, que não pode ser entendida como patológica, e não gera prejuízos.

Mas, em longo prazo, esta “demanda” do indivíduo pode se tornar um transtorno mental – que seria a síndrome de Burnout.

Pressão diária

Assim como o excesso de cobranças, a pressão do ambiente de trabalho também pode levar o colaborador ao adoecimento.
Dentre as situações que podem propiciar, podemos citar:

  • Muitas metas a serem cumpridas;
  • Ambiente de trabalho competitivo;
  • Trabalho com prazos curtos;
  • Envolvimento do trabalhador com vidas, a exemplo de bombeiros, médicos, policiais e outros;
  • Salário baseado em comissões;

O Bullying também afeta a saúde do trabalhador

Quando se pensa em Burnout, a maioria das pessoas tem em mente as situações de cansaço físico e mental.

Mas, existem aspectos que podem interferir na saúde psicológica do indivíduo, e, por exemplo, tem-se o bullying.

Muitas vezes, a vítima é reprimida e permanece calada, sem se defender. Por vezes, o indivíduo pode “entrar na brincadeira”, como tentativa de disfarçar o seu sofrimento.

Portanto, invista em palestras e ações dentro da sua empresa para tentar minimizar o bullying e quaisquer outras formas de preconceito e repressão.

Burnout

Assédio moral

O assédio moral pode ser resultante de uma série de situações e comportamentos. Por exemplo, podem-se ter casos de humilhação, críticas e feedbacks em frente a outras pessoas, xingamentos e outros comportamentos que façam com que o indivíduo se sinta inferior.

Deve-se ter discernimento para diferenciá-lo de situações de pressão, feedbacks “necessários” ou outros.

Nestes casos, os trabalhadores têm direitos, e podem inclusive, processar a empresa e/ou o causador de assédio.

Como perceber a síndrome de Burnout?

Agora que você já conheceu alguma das principais causas desta síndrome, é preciso ter em mente quais são os principais sintomas que ela causa:

  • Cansaço crônico;
  • Alterações no sono, seja seu excesso ou falta;
  • Isolamento social;
  • Dificuldade de concentração;
  • Redução do rendimento no trabalho;
  • Mudança repentina de comportamento;
  • Tristeza e apatia;

O diagnóstico da Síndrome de Burnout deve sempre ser dado por um médico, profissional também encarregado pelo tratamento dos pacientes. As medidas curativas envolvem psicoterapia, mudanças de hábito de vida (como a prática de atividades físicas e alimentação saudável), e em alguns casos, é necessário o uso de medicamento.

Sendo assim, é preciso abrir os olhos para esta síndrome, e na presença de qualquer fator desencadeante e/ou sintomas, busque ajuda!

Se identificou ou conhece alguém que acha que pode se identificar? Então continue acompanhando o Blog da AJ & Oliveira Advogados Associados e não perca os demais artigos que virão da série Burnout.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário