Burnout

Todos os trabalhadores estão suscetíveis à síndrome de Burnout. Mais expostos ainda, estão àqueles que desempenham suas atividades em ambientes:

  • Altamente competitivos;
  • Com cobranças em excesso;
  • Repletos de metas a serem cumpridas;
  • Com longas jornadas de trabalho;
  • Sem condições de higiene e/ou insalubres.

Afinal, o que é a síndrome do Burnout? Ela pode interferir no trabalho? Saiba tudo a seguir!

Burnout

O que é a Síndrome de Burnout?

Felizmente, o assunto vem sendo amplamente divulgado, e com isso, surgem maiores preocupações com a saúde do trabalhador, no sentido de prevenir a doença.

Burnout pode ser definida como síndrome de estresse decorrente do trabalho, que acaba por interferir na saúde mental do indivíduo. Como já dito, suas principais causas são o estresse no ambiente de trabalho, aliado ao excesso de cobranças e responsabilidades.

A síndrome pode estar presente em todas as profissões, idade e sexo, e por esse motivo, deve-se prestar muita atenção nos sinais que ela manifesta.

Impacto de Burnout no ambiente de trabalho

É dever de todo chefe zelar pela saúde (física e mental) de seus colaboradores. E, diferente do que muitos pensam, o bem-estar psicológico também é importante para que um bom trabalho seja desempenhado.

A seguir, conheça alguns sintomas da síndrome de Burnout que podem interferir no trabalho.

1. Nervosismo

A tensão excessiva, bem como nervosismo constante, impedem que a jornada de trabalho seja desempenhada da mesma forma que antes.

Isso porque o paciente nervoso tende a ter insônia, queda na capacidade de concentração, dificuldade em tomar decisões, e outros.

2. Ansiedade

A ansiedade pode estar presente, inclusive, com o nervosismo. Nela, o indivíduo perde a capacidade de manter-se concentrado no presente, e está sempre preocupado com o que irá acontecer no futuro.

Relacionando à sobrecarga do trabalho, o paciente com Burnout terá medo de não dar conta de todas as suas tarefas, experimentará uma sensação de inferioridade, medo de ser demitido, e muito mais.

3. Mudança de comportamento

A mudança de postura e comportamento sempre deve ser um alerta para os transtornos mentais – inclusive para a síndrome de Burnout.

E se falando do ambiente de trabalho, pode-se perceber uma mudança quando se fala em tomada de decisões, comportamento dentro do grupo de trabalho, queda de desempenho, e muito mais.

4. Ausência do trabalho

A falta ao trabalho é muito frequente em pacientes com Burnout, e deve ser abordada como uma doença – assim como qualquer outra!

Em hipótese alguma este funcionário deve receber punições, mas sim ser acolhido e receber todo o suporte da empresa. Afinal, muito provavelmente, foi neste ambiente que ele adoeceu.

Portanto, esteja sempre atento a funcionários que têm faltado demasiadamente ao trabalho, e ofereça suporte psicológico dentro da sua empresa.

Burnout

Outros sintomas da Síndrome de Burnout

Embora estes sintomas sejam notados dentro da empresa, há outros sinais que pacientes com Burnout dão, que são percebidos por colegas e familiares. Dentre eles, pode-se falar em:

  • Insônia;
  • Cansaço excessivo;
  • Perda de interesse em atividades que antes traziam prazer;
  • Excesso ou falta de apetite;
  • Dores musculares.

O que deve ser feito?

O primeiro passo, sem dúvidas, é prevenir a doença. Isso é uma responsabilidade da empresa, no sentido de ofertar medidas e encontrar maneiras de preservar a saúde mental de seus colaboradores.

Os funcionários também podem prevenir-se adotando alimentação saudável, mudança de hábitos de vida e prática de atividades físicas – afinal, são maneiras efetivas de diminuir o estresse.

O tratamento específico para a Síndrome de Burnout requer o acompanhamento de um médico especialista em saúde mental (psiquiatra), juntamente com medicamentos (se necessário) e terapia.

Se identificou ou conhece alguém que acha que pode se identificar? Então continue acompanhando o Blog da AJ & Oliveira Advogados Associados e não perca os demais artigos que virão da série Burnout!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário